Tese de Negativa de Autoria é incompatível com rito de Habeas Corpus, fixa TJAM

Tese de Negativa de Autoria é incompatível com rito de Habeas Corpus, fixa TJAM

A ação de habeas corpus cuja natureza é de fundamento ao exercício do direito de liberdade, embora seja instrumento para fazer cessar constrangimento ilegal por abuso ou ilegalidade de poder contra o direito do ir e do vir, deve ser usada dentro do rito previsto para seu processamento, sendo de conhecimento sumário, portanto, de rito abreviado, não se servindo para debate de teses jurídicas que devam permanecer circunscritas ao crivo do contraditório e da ampla defesa, tais como a da negativa de autoria delitiva pela prática do crime de roubo. A conclusão está nos autos de exame de HC impetrado pela Defensoria Pública do Amazonas em favor do Paciente Alcino Alves Neto. Foi Relator João Mauro Bessa nos autos do processo 4006638-61;2021.8.04.0000.

“A tese aventada pela Impetrante acerca da negativa de autoria delitiva se mostra incompatível com o procedimento escolhido, visto que demanda uma aprofundada análise do acervo probatório da ação principal, função reservada ao juízo a quo”, concluiu o relator, em voto seguido à unanimidade. 

O Writ também  pediu a análise de que o Paciente estivesse a merecer o conteúdo da Recomendação nº 62/2020, do Conselho Nacional de Justiça, que trata das medidas preventivas à propagação de infecções pelo Coronavírus.  Neste particular aspecto, firmou o julgado que a matéria deve ser levada, primeiramente, ao primeiro grau de jurisdição. 

“O exame da  matéria não foi analisada previamente pelo juízo de origem, não podendo haver supressão de instância. Inexiste constrangimento ilegal na manutenção da prisão processual do paciente quando o magistrado fundamenta a custódia cautelar nos requisitos legais previstos no artigo 312 do Código de Processo Penal”.

Leia o acórdão

Leia mais

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que havia condenado o Amazonas em...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora Rita Bittencourt por reconhecer que...

Mais Lidas

Últimas

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora...

Justiça do Rio nega recurso de mulher condenada por ofensas homofóbicas

O Tribunal do Rio de Janeiro, por unanimidade, negou o recurso de Luciana de Oliveira, condenada por proferir insultos...

Condenado por estupro no Amazonas tem Habeas Corpus negado pela Ministra Laurita Vaz do STJ

A Ministra Laurita Vaz do Superior Tribunal de Justiça negou a Thales da Cunha Ramos Habeas Corpus contra o...