Mulher é condenada por homicídio qualificado da própria mãe em Nova Olinda do Norte

Mulher é condenada por homicídio qualificado da própria mãe em Nova Olinda do Norte

Após 16 horas de Júri Popular, no município de Nova Olinda do Norte, o Ministério Público do Amazonas (MPAM), representado por seu Promotor de Justiça Cláudio Facundo, obteve a condenação de criminosos pelo assassinato da Sra. Elza Correa Costa, à época com 66 anos, na quinta-feira, 16. A mandante do crime, Maria Madalena Correia da Cunha, filha da vítima, foi condenada a 23 anos e 7 meses por homicídio com as qualificadoras de motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Madalena também foi condenada a dois anos e meio de prisão pela ocultação do cadáver da mãe

O crime foi cometido em 2017 a mando de Maria Madalena, também conhecida com “Teca”, motivado pelo desejo de herdar a casa da mãe e por ter um relacionamento ruim com a vítima. A idosa foi morta com golpes violentos de uma barra de ferro e seu corpo foi esquartejado, para facilitar seu ocultamento. O caso obteve repercussão estadual e chocou toda a população da região.

Segundo o Promotor de Justiça, a filha planejou o assassinato de sua mãe, juntamente com o namorado, a partir da contratação de dois rapazes mediante pagamento de R$ 10 dez mil para a execução do assassinato.

“A ré esperou os contratados em sua casa, entregando armas para a execução do crime – sendo uma delas a ‘barra de ferro’. O assassinato foi seguido de esquartejamento. Para ocultarem o cadáver, o corpo foi colocado dentro de uma mala e lançado no rio”, declarou o Promotor de Justiça.

Maria Madalena Correia da Cunha está presa. O namorado, Hamilton Souza da Costa, vulgo “Milton”, embora condenado, aguardará o trânsito em julgado para ser preso. Alex Pereira da Costa, o contratado para execução do crime, tem sua prisão preventiva decretada e está foragido.

Fonte: Asscom MPAM

Leia mais

Havendo dúvida na violência doméstica, deve-se resolver a favor do réu

Ainda que no âmbito da violência doméstica e familiar contra a mulher, prevalece o princípio do in dubio pro reo quando a palavra da...

Múltiplas vítimas de assalto no Amazonas motivam denegação de Habeas Corpus ao acusado no STJ

A sentença condenatória que, nessa fase processual, fundamenta que o réu não poderá apelar em liberdade, e se utiliza, para sua fundamentação, dos requisitos...

Mais Lidas

Últimas

TST: Auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer vínculo de emprego

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu que um auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer...

Servidor inativo não precisa justificar para converter licença-prêmio em dinheiro, diz STJ

O servidor federal inativo tem direito a converter em dinheiro períodos adquiridos de licença-prêmio que não tenham sido por...

Ministro do STF mantém decisão do STJ que prorrogou afastamento de desembargadora do TJ-BA

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o Habeas Corpus (HC) 213712, em que a defesa...

Ministra Rosa Weber julga inviável ação sobre revisão da política de cotas

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), considerou inviável (negou seguimento) ação em que o Partido Democrático...