Mulher é condenada por homicídio qualificado da própria mãe em Nova Olinda do Norte

Mulher é condenada por homicídio qualificado da própria mãe em Nova Olinda do Norte

Após 16 horas de Júri Popular, no município de Nova Olinda do Norte, o Ministério Público do Amazonas (MPAM), representado por seu Promotor de Justiça Cláudio Facundo, obteve a condenação de criminosos pelo assassinato da Sra. Elza Correa Costa, à época com 66 anos, na quinta-feira, 16. A mandante do crime, Maria Madalena Correia da Cunha, filha da vítima, foi condenada a 23 anos e 7 meses por homicídio com as qualificadoras de motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Madalena também foi condenada a dois anos e meio de prisão pela ocultação do cadáver da mãe

O crime foi cometido em 2017 a mando de Maria Madalena, também conhecida com “Teca”, motivado pelo desejo de herdar a casa da mãe e por ter um relacionamento ruim com a vítima. A idosa foi morta com golpes violentos de uma barra de ferro e seu corpo foi esquartejado, para facilitar seu ocultamento. O caso obteve repercussão estadual e chocou toda a população da região.

Segundo o Promotor de Justiça, a filha planejou o assassinato de sua mãe, juntamente com o namorado, a partir da contratação de dois rapazes mediante pagamento de R$ 10 dez mil para a execução do assassinato.

“A ré esperou os contratados em sua casa, entregando armas para a execução do crime – sendo uma delas a ‘barra de ferro’. O assassinato foi seguido de esquartejamento. Para ocultarem o cadáver, o corpo foi colocado dentro de uma mala e lançado no rio”, declarou o Promotor de Justiça.

Maria Madalena Correia da Cunha está presa. O namorado, Hamilton Souza da Costa, vulgo “Milton”, embora condenado, aguardará o trânsito em julgado para ser preso. Alex Pereira da Costa, o contratado para execução do crime, tem sua prisão preventiva decretada e está foragido.

Fonte: Asscom MPAM

Leia mais

Bemol utiliza telas sistêmicas e vence ação de alegação de fraude em contrato de empréstimo

Em uma ação movida contra a Bemol, o autor alegou que a loja negou a venda de um produto a prazo devido a supostos...

Banco prova que negativou o nome do cliente por atraso de dívida renegociada, não por fraude

A responsabilidade da instituição financeira de arcar com os prejuízos decorrentes de fraudes em contratação de empréstimos concedidos mediante uso ilícito de documentos de...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Ventos fortes em Manaus e céu nublado não motivam atraso na saída de voo e geram danos morais

Ação de indenização por danos morais devido a atraso de voo com origem em Manaus, resultando em chegada ao...

Fachin nega HC a acusado de mandar matar ex-mulher no Rio de Janeiro

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o pedido de revogação da prisão preventiva do industriário...

STJ vai julgar repetitivo sobre interrupção de prescrição para pedir execução de sentença coletiva

​A Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu remeter à Corte Especial o julgamento dos Recursos Especiais...

Observatório da Violência contra Jornalistas discute proposta de fluxos de trabalho

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) realizou, nesta terça-feira (9), a 6ª Reunião Plenária do Observatório da...