Procurador que espancou colega é suspenso e tem salário cortado

Procurador que espancou colega é suspenso e tem salário cortado

Foto: Reprodução/TV Tribuna

O procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos, que espancou a também procuradora Gabriella Samadello, de 39 anos, foi afastado do cargo e teve o salário suspenso, a decisão foi publicada no Diário Oficial do Município. O processo administrativo aberto contra Demétrius deve resultar na exoneração do servidor.

A publicação da portaria Nº 525/2022 é uma punição imediata a agressor que foi filmado dando socos, chutes e xingando Gabriela. Demétrius inicialmente ficará suspenso do cargo por 30 dias, sem salário.

A prefeitura de Santos explicou que o afastamento faz parte do processo administrativo que deve resultar na exoneração do procurador. “É necessário seguir essa etapa e os tramites legais para que a decisão seja tomada de maneira consistente”, informou.

Leia mais

É possível concessão de benefício previdenciário diverso do pedido, define TJAM

Em embargos de declaração aos quais se concedeu efeitos infringentes contra Acórdão que julgou Recurso de Apelação de Janira do Socorro de Azevedo Paixão...

Estupro de Vulnerável com vítima sobrinha impõe a acusado no Amazonas aumento de pena

Na ocasião em que a vítima, criança  de 07 anos, se deslocou para atender ao pedido de frutas solicitado pelo tio, Ciro Lima, em...

Mais Lidas

Últimas

Desvalorização no preço de carro leiloado em ação penal não gera indenização

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou recurso de um comerciante de 60 anos, residente em Itajaí...

DPU e MPF pedem R$ 50 milhões à União após mortes de Dom e Bruno no Amazonas

Manaus/AM - Após as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, a Defensoria Pública da União...

TRT-MT nega indenização à trabalhadora que recusou ser reintegrada após gravidez ser descoberta

A Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (MT) negou o pedido da ex-empregada de um supermercado...

Empregado de Porto Alegre que falou mal da empresa em grupo de WhatsApp é despedido por justa causa

As mensagens foram enviadas pelo auxiliar administrativo para um grupo composto por pessoas estranhas à instituição de ensino onde...