Justiça mantém proibição de mudança do sistema de bilhetagem nos ônibus de Manaus

Justiça mantém proibição de mudança do sistema de bilhetagem nos ônibus de Manaus

Foto: Divulgação

Manaus/AM – A proibição da substituição do sistema de bilhetagem nos ônibus do transporte público de Manaus foi mantida pela Justiça do Amazonas, ao negar recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), ontem (21) para manutenção do novo sistema Passa Fácil.

O novo sistema vem sendo alvo de constantes reclamações dos usuários do transporte coletivo por conta das falhas que têm impedido o uso do sistema por conta do não funcionamento do bilhete eletrônico, da integração temporal, da não liberação de crédito, não liberação da catraca, impossibilidade de conferir saldo da carteirinha e mensagens inválidas sobre validade das carteirinhas, entre outros.

A desembargadora Joana dos Santos Meirelles, em decisão de segunda instância, destaca que o sindicato substituiu a empresa que fazia o gerenciamento da bilhetagem eletrônica, em atividade na capital desde 2003, antes do término do contrato.

A juíza Maria Eunice Torres do Nascimento já havia proibido, em caráter liminar, a troca do sistema e fixado multa R$ 1 milhão por dia em caso de descumprimento. A decisão foi de semana passada.

 

 

Leia mais

É possível concessão de benefício previdenciário diverso do pedido, define TJAM

Em embargos de declaração aos quais se concedeu efeitos infringentes contra Acórdão que julgou Recurso de Apelação de Janira do Socorro de Azevedo Paixão...

Estupro de Vulnerável com vítima sobrinha impõe a acusado no Amazonas aumento de pena

Na ocasião em que a vítima, criança  de 07 anos, se deslocou para atender ao pedido de frutas solicitado pelo tio, Ciro Lima, em...

Mais Lidas

Últimas

Desvalorização no preço de carro leiloado em ação penal não gera indenização

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou recurso de um comerciante de 60 anos, residente em Itajaí...

DPU e MPF pedem R$ 50 milhões à União após mortes de Dom e Bruno no Amazonas

Manaus/AM - Após as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, a Defensoria Pública da União...

TRT-MT nega indenização à trabalhadora que recusou ser reintegrada após gravidez ser descoberta

A Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (MT) negou o pedido da ex-empregada de um supermercado...

Empregado de Porto Alegre que falou mal da empresa em grupo de WhatsApp é despedido por justa causa

As mensagens foram enviadas pelo auxiliar administrativo para um grupo composto por pessoas estranhas à instituição de ensino onde...