Estudante com dificuldades de aprendizagem em Manaus não obriga Escola à progressão de série

Estudante com dificuldades de aprendizagem em Manaus não obriga Escola à progressão de série

O Judiciário amazonense ao analisar pedido de aluno em avanço de cursos e séries, por ter sido reprovado no ano anterior, negou a possibilidade dessa progressão, mesmo no caso de se cuidar de educando com alto transtorno de autismo. A ação julgada foi proposta pela representante legal do menor F.F.R, em desfavor da Escola Século, em Manaus. O pedido consistiu em obrigar a Escola Ré em matricular o jovem no 2º ano do Ensino Médio, embora com matérias pendentes, a serem pagas por compensação no decurso do ano subsequente. A possibilidade jurídica foi descartada em primeiro e em segundo graus de jurisdição. Na Corte de Justiça, o julgamento foi relatado por Carla Maria S. dos Reis. 

O julgado de primeiro grau concluiu que a ausência de acompanhamento pedagógico por parte da Escola e a não adequação do educando ao ensino remoto durante a pandemia não restaram evidenciadas. Ainda considerou que houve laudo conclusivo de que não haveria necessidade de um acompanhamento individualizado do educando. 

Considerou-se, ainda, que o fato da Escola Ré não dispor de regime de progressão parcial prevista na Lei de Diretrizes Básicas da Educação não se constituía em irregularidade, pois essa regime é facultativo e não obrigatório. A sentença foi mantida em julgamento de recurso de apelação. 

Segundo a decisão, em segunda instância, “o poder judiciário não deve imiscuir-se nos critérios de avaliação do Conselho de Professores da Apelada para aprovação e reprovação de seus alunos.” Assim, concluiu o Tribunal de Justiça que não houve ilegalidade no ato se que a Escola tenha negado a matrícula em avanço de série, como pretendida pelos autores. 

Processo nº 0600505-19.2021.8.04.0001

Leia o acórdão :

EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. ALUNO PORTADOR DE SÍNDROME DE ASPERGER. REPROVADO NO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO EM CINCO MATÉRIAS DA GRADE CURRICULAR.  INDEFERIMENTO DE PRODUÇÃO DE PROVA IMPERTINENTE. POSSIBILIDADE. ALEGAÇÃO DE FATO INCONTROVERSO. AUTONOMIA DIDÁTICO-CIENTÍFICA DA INSTITUIÇÃO
DE ENSINO. LAUDOS QUE NÃO INDICAM DEFICIÊNCIAS NO APRENDIZADO. CORRESPONSABILIDADE DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO DO ADOLESCENTE (ART. 205, CF). PROGRESSÃO DE SÉRIE POR MEIO DE DEPENDÊNCIA ESCOLAR. AUSÊNCIA DE PREVISÃO NO REGIMENTO INTERNO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO. APELAÇÃO CONHECIDA E NÃO
PROVIDA.

Leia mais

Havendo dúvida na violência doméstica, deve-se resolver a favor do réu

Ainda que no âmbito da violência doméstica e familiar contra a mulher, prevalece o princípio do in dubio pro reo quando a palavra da...

Múltiplas vítimas de assalto no Amazonas motivam denegação de Habeas Corpus ao acusado no STJ

A sentença condenatória que, nessa fase processual, fundamenta que o réu não poderá apelar em liberdade, e se utiliza, para sua fundamentação, dos requisitos...

Mais Lidas

Últimas

TST: Auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer vínculo de emprego

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu que um auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer...

Servidor inativo não precisa justificar para converter licença-prêmio em dinheiro, diz STJ

O servidor federal inativo tem direito a converter em dinheiro períodos adquiridos de licença-prêmio que não tenham sido por...

Ministro do STF mantém decisão do STJ que prorrogou afastamento de desembargadora do TJ-BA

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o Habeas Corpus (HC) 213712, em que a defesa...

Ministra Rosa Weber julga inviável ação sobre revisão da política de cotas

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), considerou inviável (negou seguimento) ação em que o Partido Democrático...