Banco HSBC é condenado a indenizar cliente que sofreu golpe na conta corrente em Manaus

Banco HSBC é condenado a indenizar cliente que sofreu golpe na conta corrente em Manaus

O Desembargador Anselmo Chíxaro, do Tribunal de Justiça do Amazonas, ao editar voto sobre a responsabilidade bancária com o dever de cuidado com a conta do correntista, firmou que o fato de operações financeiras realizadas necessitarem do fornecimento de senha pessoal ou token eletrônico de posse exclusiva dos clientes, não elimina a obrigação que a instituição tenha acerca dos cuidados e segurança com as movimentações que administra. No caso, o Hsbc Bank Brasil foi condenado a restituição de valores, bem como a danos morais decorrentes do ato ilícito à pessoa de D.D.E.L.

A ação foi inicialmente julgada improcedente ante o juízo cível, vindo o magistrado de piso a denegar o pedido, daí o recurso de apelação do consumidor, com a reforma da sentença. O Autor narrou que foram realizadas transações bancárias em sua conta corrente nos serviços de crédito parcelado, pagamento de título de crédito, bem como de contas de água, luz e telefone, todos em  altos valores.

As transações não haviam sido feitas pelo consumidor e tampouco por ele autorizadas, e o cliente não conseguiu solucionar administrativamente a lesão patrimonial sofrida. O Banco, entretanto, firmou que não cometeu o ato, e que o correntista era o único responsável pelo ocorrido pois poderia ter informado sua senha e token a terceira pessoa. 

” O fato das operações financeiras realizadas necessitarem o fornecimento de senha pessoal ou token eletrônico de posse exclusiva dos clientes, não exime o réu dos deveres de cuidado e segurança, de modo a se afastar a alegação, por mera dedução, de culpa exclusiva da vítima/apelante na fraude perpetrada, como quer fazer crer o apelado”, dispôs o julgado.

Processo nº 0610740-21.2016.8.04.0001

Leia o acórdão:

Autos n.º 0610740-21.2016.8.04.0001. Classe: Apelação Cível. Relator: Desembargador Ernesto Anselmo Queiroz Chíxaro. Apelante: D.D.E.L. Apelado: HSBC. EMENTA: DIREITO DO CONSUMIDOR. APELAÇÃO CÍVEL EM AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO C/C REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS. CONTRATO BANCÁRIO CELEBRADO POR PESSOA JURÍDICA. FRAUDE EMTRANSFERÊNCIAS BANCÁRIAS. INCIDÊNCIA DO CÓDIGO DE DEFESA DOCONSUMIDOR. TEORIA FINALISTA. MITIGAÇÃO. RESPONSABILIDADE
CIVIL OBJETIVA DA ENTIDADE BANCÁRIA. FORTUITO INTERNO. PREJUÍZO MATERIAL CONSTATADO. FALHA NO SERVIÇO PRESTADO. ART. 14 DO CDC. SÚMULA N. 479 DO STJ. DANOS MORAIS À PESSOA JURÍDICA. SÚMULA N. 227/STJ. NÃO EVIDENCIADO. RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO. SENTENÇA PARCIALMENTE REFORMADA.

Leia mais

Separada do servidor terá pensão por morte limitada aos valores dos alimentos que recebia

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao julgar, em voto condutor, recurso contra decisão que julgou improcedente pedido de reajuste de pensão...

Havendo dúvida na violência doméstica, deve-se resolver a favor do réu

Ainda que no âmbito da violência doméstica e familiar contra a mulher, prevalece o princípio do in dubio pro reo quando a palavra da...

Mais Lidas

Últimas

Separada do servidor terá pensão por morte limitada aos valores dos alimentos que recebia

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao julgar, em voto condutor, recurso contra decisão que julgou improcedente...

STJ nega liminar para suspender ações decorrentes de delação de ex-subsecretário de Saúde do RJ

O desembargador convocado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Olindo Menezes indeferiu liminar em habeas corpus em que a...

STJ determina ressarcimento de cirurgia negada pelo plano

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por maioria, decidiu que uma operadora de plano de saúde...

TST: Auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer vínculo de emprego

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu que um auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer...