Pagar quase toda dívida do carro não impede busca e apreensão em caso de atraso no Amazonas

Pagar quase toda dívida do carro não impede busca e apreensão em caso de atraso no Amazonas

O atraso no pagamento de uma das prestações do financiamento de um automóvel em instituição financeira não impede que o Banco promova a ação de busca e apreensão do veículo, mesmo que o financiado tenha pago valores substanciais do financiamento, assim decidiu o Tribunal de Justiça do Amazonas em acórdão que teve como Relatora a Desembargadora Maria das Graças Pessoa Figueiredo em ação movida pela empresa BV Financeira contra Dariane Gomes dos Santos.

A ação de busca e apreensão é uma medida satisfativa garantida pela legislação vigente nos casos de inadimplementos de contrato de financiamento com cláusula de garantia de alienação fiduciária. No caso, o automóvel é dado como garantia pelo adquirente e o credor fiduciário poderá acionar o Judiciário e obter cautelarmente a apreensão do veiculo, mesmo que tenham sido pagas parcelas substanciais do financiamento, ocorrendo atraso no pagamento de uma das parcelas.

Constituída a mora do devedor, não é cabível a rejeição do pedido sob o argumento de que foram pagos valores substanciais do financiamento. “Não é cabível a rejeição do pedido sob o argumento de adimplemento substancial da dívida”, firmou o julgado, por expressa previsão legal. No caso concreto, a ação foi movida por BV Financeira, com a concessão de busca e apreensão no juízo de primeiro grau. 

A interessada, possuidora do automóvel recorreu ao Tribunal de Justiça, pretendendo a retomada do bem. Em primeiro grau, o juízo sentenciante já havia consolidado de forma perene a posse e a propriedade em nome o credor fiduciário. No recurso, a autora firmou que já havia pago 75% do valor do financiamento, mas o argumento não foi considerado pertinente, pois para a busca e apreensão e demais consequências do contrato, basta o devedor se configurar em mora. Na espécie não se acolhe a teoria do adimplemento substancial.Importa que a prestação seja paga em dia.

Processo nº 0621834-58.2019.8.04.0001.

Leia o acórdão:

APELAÇÃO CÍVEL N.º 0621834-58.2019.8.04.0001/CAPITAL – FÓRUM MINISTRO. RELATORA : DESA. MARIA DAS GRAÇAS PESSÔA FIGUEIREDO. APELANTE : DARIANE GOMES DOS SANTOS. APELADO : B. V. FINANCEIRA S/A – CRÉDITO, FINANCIAMENTOE
INVESTIMENTO. EMENTA: PROCESSO CIVIL. APELAÇÃO. AÇÃO DEBUSCA E APREENSÃO. POSSIBILIDADE. PREVISÃOLEGAL NO DECRETO-LEI Nº 911/69. INADIMPLEMENTO CONTRATUAL. MORADEVIDAMENTE CONSTITUÍDA. TEORIA DOADIMPLEMENTO SUBSTANCIAL. DESCABIMENTO. RECURSO CONHECIDO PARCIALMENTE EDESPROVIDO.
1. Trata-se a ação de busca e apreensão de medida satisfativa garantida pela legislação vigente nos casos de inadimplemento de contrato de financiamento comcláusula de garantia de alienação fiduciária, nos termos dos artigos 2º e 3º do Decreto Lei nº 911/69.
2. O colendo Superior Tribunal de Justiça já se posicionou no sentido de que nos casos em que é aplicado o Decreto Lei n. 911/69, não cabível a teoria implemento substancial. 3. Considerando que existe previsão legal autorizando a busca e apreensão do bem alienado quando da inadimplência do devedor, desde que devidamente constituída a mora, não é cabível a rejeição do pedidosob o argumento de adimplemento substancial da dívida.
4. Quanto ao pedido prestação de contas, em que a parte Recorrente pugna pelo abatimento do valor devido e ressarcimento de eventual saldo auferidocom a venda do veículo, este não pode ser conhecido, pois não foi apresentado no Primeiro Grau de Jurisdição

 

Leia mais

Aluno não pode ser prejudicado por alteração de grade curricular, diz TJ/Amazonas

Julgado da Corte de Justiça firmou que embora a Universidade do Estado do Amazonas tenha autonomia didático científica, aí se incluindo a prerrogativa de...

Zona Franca não é incompatível com a política de redução da carga tributária, diz ABIR a Moraes

O Ministro Alexandre de Moraes recebeu pedido da ABIR-Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas Não Alcóolicas para ingresso na ADI-7153, na qual...

Mais Lidas

Últimas

Aluno não pode ser prejudicado por alteração de grade curricular, diz TJ/Amazonas

Julgado da Corte de Justiça firmou que embora a Universidade do Estado do Amazonas tenha autonomia didático científica, aí...

Ulbra é denunciada por cobrar taxa de R$ 200 por colação de grau em Manaus

Manaus/AM - Alunos do Centro Universitário Luterano do Brasil (Ceulm/Ulbra), procuraram o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AM), para...

Condenado a 26 anos pela morte da ex no Amazonas, homem vai pagar indenização a filhos da vítima

Além da condenação a 26 anos e três meses de prisão pelo crime de feminicídio, Mizael Augusto Rodrigues de...

Radialistas do RS receberão adicional por acúmulo de funções no mesmo setor

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a condenação da Empresa Portoalegrense de Comunicação Ltda. (Rede Pampa)...