Operadora não prova regular negativação do cliente devendo pagar R$ 8 mil pelos danos morais

Operadora não prova regular negativação do cliente devendo pagar R$ 8 mil pelos danos morais

Sentença do Juiz Luís Márcio Nascimento Albuquerque, do 2º Juizado Cível de Manaus, condenou a Telefônica Brasil em R$ 8 mil por danos morais decorrentes de inscrição negativa do nome de um cliente em cadastro de inadimplentes.

No processo o magistrado reconheceu a fragilidade do usuário frente à Operadora e concedeu a inversão do ônus da prova

A sentença explica que a Operadora teria a obrigação de demonstrar no processo que a origem da dívida que deu azo à inscrição do cliente no cadastro de mal pagadores seria dela, empresa.

No entanto, não o fez, descumprindo o dever de provar sobre a legalidade do ato de inserção do valor impugnado pelo autor, por ausência de lastro, no cadastro restritivo de crédito. 

Segundo o Juiz, meras telas sistêmicas, utilizadas isoladamente como prova, não são suficientes para comprovar a existência do débito em nome do autor.

Desta forma, prevaleceria a narrativa do autor, que impugnou a dívida sob o fundamento de desconhecer a origem do débito que ensejou a negativação de seu nome junto ao órgão de proteção ao crédito.

“Se nos afigura absolutamente justa e pertinente a adequação de tal hipótese de
inversão obrigatória a favor do consumidor, porquanto reconhecidamente a parte mais fraca da relação consumerista”

“Reconhecendo, pois, que o serviço fornecido pela parte Requerida não atingiu o resultado para o qual era voltado e, não havendo comprovação da inexistência do defeito decorrente da inscrição indevida do nome da parte autora em cadastro restritivo, é de ser reconhecido como pertinente o pedido relativo à declaração de inexistência de tal cobrança com a consequente exclusão do nome da parte Requerente dos órgãos de proteção ao crédito, e a condenação em danos morais”, escreveu o Juiz. 

Processo 0012768-40.2024.8.04.1000

 

Leia mais

Juiz mantém prisão de entregadores suspeitos de agredir morador de condomínio em Manaus

Durante audiência de custódia na terça-feira (16), o Juiz Rafael Rodrigo da Silva Raposo confirmou a legalidade da prisão dos entregadores Richarley Cavalcante Araújo,...

Casamento Coletivo em benefício de grupos socialmente vulneráveis será promovido no Amazonas

Solenidade ocorrerá na próxima sexta-feira (19/07) no Largo de São Sebastião (centro de Manaus) em benefício de 164 casais, incluindo: LGBTQIA+, PCDs, indígenas, idosos,...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Por não fazer nada, mulher vira ré pela tentativa de homicídio do filho

​Uma mulher virou ré na última sexta-feira (12/7) pela tentativa de homicídio do filho de apenas dois anos, em...

CCJ do Senado adia votação da PEC da autonomia financeira do BC

Para tentar chegar a um acordo com o governo federal, ficou para agosto a votação da Proposta de Emenda à...

Juiz mantém prisão de entregadores suspeitos de agredir morador de condomínio em Manaus

Durante audiência de custódia na terça-feira (16), o Juiz Rafael Rodrigo da Silva Raposo confirmou a legalidade da prisão...

Uso indevido de imagem em campanha publicitária gera dano moral

A Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu que o uso indevido de imagem em campanha...