Acusado de tentar matar homem que negou pagar bebida alcoólica é condenado a 11 anos

Acusado de tentar matar homem que negou pagar bebida alcoólica é condenado a 11 anos

O Tribunal do Júri de Santa Maria condenou Paulo Henrique Martins Moura a 11 de prisão, em regime inicial fechado, por tentar matar, com uso de faca, um cliente de uma distribuidora de bebidas que se recusou a pagar bebida alcoólica a ele. No entendimento dos jurados, que acolheram a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o crime foi cometido por motivo fútil.

Na análise do caso, o Juiz Presidente do Júri disse que a conduta do réu merece maior reprovação, pois foi praticada em via pública, durante reunião de número indeterminado de pessoas. O Juiz ainda destacou os antecedentes do réu, que tem quatro condenações penais transitadas em julgado.

Por fim, o magistrado não concedeu ao réu o direito de recorrer em liberdade. Segundo o julgador, permanecem íntegros os fundamentos que levaram a decretação da prisão preventiva do acusado. Assim, “diante do perigo gerado pelo estado de liberdade do réu, em vista de sua intensa periculosidade, com reiteração em delitos graves, o réu não faz jus a apelar em liberdade”, disse o Juiz.

O crime aconteceu na madrugada do dia 5 de dezembro de 2021, em via pública da região de Santa Maria/DF. Paulo Henrique abordou a vítima, que estava na distribuidora de bebidas, e solicitou a ela que lhe pagasse uma bebida. A vítima se recusou e deixou o local, sendo seguida por Paulo que, sem nada dizer, a esfaqueou e fugiu do local. A vítima foi socorrida e recebeu atendimento médico.

Processo: 0700101-28.2022.8.07.0010

Com informações do TJ-DFT

Leia mais

STF contraria STJ e declara válida invasão de casa por policial ante atitude do suspeito

O colegiado do Supremo Tribunal Federal, por maioria de votos, decidiu que são válidas invasões da Polícia Militar a domicílios nos casos em que...

Esposa pode pedir para retirar sobrenome do marido mesmo durante o casamento

Mesmo casada, a mulher tem o direito de solicitar a retirada do sobrenome adquirido após o matrimônio, por meio de um processo administrativo ou...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

Juiz absolve sumariamente ré em processo que tramitava havia dez anos

Por entender que a absolvição por falta de provas seria o desfecho natural do processo, que já se arrastava...

Fachin concede benefício e converte pena de condenado por tráfico

As denúncias anônimas e a apreensão de quantidades fracionadas de droga não comprovam a dedicação ao tráfico, não podendo,...

Averbação em matrícula de bem impenhorável não se confunde com a efetiva penhora

O fato de o devedor possuir bem considerado impenhorável, por si só, não afasta a possibilidade da averbação premonitória...

Justiça do Trabalho reintegra ao trabalho homem que pediu demissão durante quadro de depressão

A 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (RO/AC) manteve a decisão da 1ª Vara do...