Réu cumprirá 25 anos por tentar matar ex-companheira. Ele já tem outra pena de 75 anos

Réu cumprirá 25 anos por tentar matar ex-companheira. Ele já tem outra pena de 75 anos

Uma tentativa de feminicídio foi o caso julgado no primeiro júri de 2024, na comarca de Pinhalzinho. A sessão aconteceu na última sexta-feira (26/1) e demandou aproximadamente 11 horas de trabalho. O réu foi condenado a 25 anos, dois meses e 12 dias por tentativa de homicídio qualificada por motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, crime cometido para assegurar ocultação de outro crime e feminicídio. Ele ainda recebeu a sentença de quatro meses de detenção por descumprir medida protetiva.

Consta na denúncia que o acusado foi até a casa da ex-companheira, na madrugada de 14 de fevereiro de 2023, e desferiu diversos golpes de facão na vítima que, inclusive, levaram à necessidade de instalação de prótese craniana. A mulher estava no sétimo mês de uma gestação do agressor e os filhos da vítima – com 11, 13 e 18 anos de idade – assistiram ao crime.

A violência se deu em virtude de a mulher depor contra o réu em outro processo em que ele foi acusado de estuprar e engravidar uma de suas filhas. Por isso a família tinha medida protetiva. O homem ainda entregou a criança para que o irmão dele também cometesse o crime sexual. Neste caso, em outro processo, o padrasto foi condenado a 75 anos, um mês e 18 dias de reclusão. O irmão recebeu a sentença de nove anos, sete meses e seis dias de reclusão.

Novo magistrado

Além de ser a primeira sessão de júri popular realizada neste ano, na comarca de Pinhalzinho, esse também foi o primeiro julgamento presidido pelo novo magistrado da comarca, Claudio Rego Pantoja. O juiz já atuava, como substituto, nas comarcas de Chapecó e Coronel Freitas. Natural de Salvador/BA, Pantoja se impressionou com a movimentação processual da comarca da qual também é juiz diretor.

“Pinhalzinho é um município muito organizado, com gente trabalhadora e acolhedora. Estou muito feliz em realizar minha primeira experiência como juiz titular nesta comarca. Os servidores do fórum são muito dedicados, competentes e compromissados. E a comunidade pode contar com a continuidade na prestação jurídica de qualidade e na garantia do cumprimento dos direitos de todos, não obstante a notória demanda e necessidade de ampliação do atendimento jurisdicional”, considerou Pantoja.

Nesta quinta-feira (1º/02), ocorre o segundo júri do ano, em que dois irmãos serão julgados pela morte de um homem e tentativa de homicídio contra a mulher que estava com ele, próximo ao Terminal Rodoviário de Nova Erechim. A mulher é ex-companheira de um dos acusados. Os crimes ocorreram no início da noite de 28 de janeiro de 2023.

Com informações do TJ-SC

Leia mais

Amazonas Energia deve pagar o consumidor substituto por queda de rede

A empresa de energia elétrica é responsável pelos danos causados a aparelhos domésticos em decorrência de oscilação de energia. Se esses danos são ressarcidos...

Candidato aprovado fora do número de vagas em concurso tem nomeação confirmada

O candidato aprovado fora do número de vagas previstas em edital de concurso, mas que passe a figurar entre as vagas existentes devido a...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

Amazonas Energia deve pagar o consumidor substituto por queda de rede

A empresa de energia elétrica é responsável pelos danos causados a aparelhos domésticos em decorrência de oscilação de energia....

Candidato aprovado fora do número de vagas em concurso tem nomeação confirmada

O candidato aprovado fora do número de vagas previstas em edital de concurso, mas que passe a figurar entre...

Justiça permite a maior de idade, por deficiência, habilitar-se como dependente de servidor

É possível ao filho maior de 21 anos de idade obter a declaração judicial de dependência do servidor na...

Sem prestar informações ao Promotor de Justiça, condenação de ex-prefeito é mantida por improbidade

Decisão de Colegiado do Tribunal do Amazonas confirma  que o desatendimento intencional pelo Prefeito de informações a serem prestadas...