Facebook deve indenizar usuária que teve perfil hackeado para fins sexuais

Facebook deve indenizar usuária que teve perfil hackeado para fins sexuais

Manaus/AM – Facebook deve indenizar usuária que teve conta invadida por hacker que mandou mensagem de cunho sexual para outras pessoas. A decisão foi relatada pela Juíza Irlena Leal Benchimol, da 1ª Turma Recursal, do Tribunal de Justiça do Amazonas. Os danos morais foram fixados em R$5 mil.

Na ação, a autora narrou que seu perfil no Facebook foi clonado e que o hacker havia mandado mensagens de cunho sexual para os seus amigos, e ainda pediu dinheiro. Segundo os autos, a autora tentou recuperar o perfil, mas a senha havia sido alterada e a empresa se negou a ajudá-la. O Facebook contestou e alegou que adotou todas as medidas necessárias.

O processo foi distribuído para o juiz Antônio Carlos Marinho, da 12ª Vara do Juizado Especial Cível de Manaus, que concluiu que a referida rede social deixou de adotar as medidas adequadas, bem como não tomou providências necessárias para a recuperação do perfil da autora, que precisou criar um novo perfil para alertar os seus amigos sobre o ocorrido. Nesse sentido, o magistrado atendeu aos pedidos da usuária e condenou o Facebook a pagar R$10 mil pelos danos morais. A empresa recorreu.

Em segunda instância, a juíza Irlena Leal reformou sentença para diminuir o valor dos danos morais e registrou que “é salutar que se realize o arbitramento com moderação, em atenção aos parâmetros da razoabilidade e da proporcionalidade, sem perder de vista a realidade da vida e as peculiaridades de cada caso”. Desta forma, julgou ser razoável a quantia de R$ 5 mil para fins indenizatórios.

Recurso Inominado Cível: 0791467-62.2022.8.04.0001

Leia a ementa:

RECURSO INOMINADO. AÇÃO DE REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS. FACEBOOK. CONTA INVADIDA. HACKER QUE MANDOU MENSAGENS DE CUNHO SEXUAL PARA OUTROS. AUSÊNCIA DE SEGURANÇA, EFICIÊNCIA E CONTINUIDADE DO SERVIÇO. SITUAÇÃO QUE AFETOU À HONRA E A IMAGEM DA PARTE AUTORA. DANOS MORAIS CONFIGURADOS. SENTENÇA REFORMADA APENAS PARA MINORAR O PAGAMENTO DO DANO MORAL, FICANDO NO PATAMAR DE R$ 5.000,00. PARÂMETROS DA RAZOABILIDADE E PROPORCIONALIDADE. RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO. SEM CUSTA E HONORÁRIOS EM RAZÃO DO JULGAMENTO. (TJ-AM – Recurso Inominado Cível: 0791467-62.2022.8.04.0001 Manaus, Relator: Irlena Leal Benchimol, Data de Julgamento: 06/02/2024, 1ª Turma Recursal, Data de Publicação: 06/02/2024)

Leia mais

TJ-AM manda que Turma reexamine decisão que condenou a Claro em danos morais por scoring

O Tribunal de Justiça do Amazonas aceitou Reclamação da Claro S.A contra a 2ª Turma Recursal, e determinou que seja reexaminada uma decisão que...

Supremo invalida lei que garantia porte de armas para vigilantes e seguranças

Por unanimidade, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) invalidou norma do Estado do Espírito Santo que autorizava o porte de arma de fogo...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Regulação da IA precisa proteger direitos fundamentais, diz Barroso

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, defendeu, nesta sexta-feira (12), a regulamentação da Inteligência...

Chapecoense deve indenizar família de chefe de segurança morto em acidente aéreo

A Associação Chapecoense de Futebol (Chapecoense), de Santa Catarina, foi condenada pela Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho,...

TJ-AM manda que Turma reexamine decisão que condenou a Claro em danos morais por scoring

O Tribunal de Justiça do Amazonas aceitou Reclamação da Claro S.A contra a 2ª Turma Recursal, e determinou que...

STF analisa decisão que suspendeu portaria da AGU sobre Terra Indígena Ibirama-La Klãnõ, em SC

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai decidir, na sessão virtual que começa nesta sexta-feira (12), se confirma ou não...