Advogado é multado por abandonar julgamento no Tribunal do Júri de Osasco/SP

Advogado é multado por abandonar julgamento no Tribunal do Júri de Osasco/SP

Freepik

Osasco/SP – Um advogado que levou a filha de 14 anos em sessão de julgamento no Tribunal do Júri na cidade de Osasco/SP, foi multado em R$100 mil reais por abandonar o júri, após a juíza proibir a permanência da menina no local, porque entendeu que o conteúdo não era apropriado para o conhecimento da menor.

Ocorre que o julgamento era de um acusado de matar vítima por motivo torpe, meio cruel e emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Conforme a ata de julgamento, a menina entrou no plenário do júri no momento em que a promotora de justiça que atuou no caso fazia a sustentação oral.

A juíza decidiu aplicar a multa nos termos do artigo 265 do CPC, de 100 salários-mínimos.

“A Promotora de Justiça estava há quase uma hora expondo seus argumentos, mostrando as provas do processo, para que o advogado tome uma atitude tão descabida, desproporcional e de extremo desrespeito não somente ao juízo e à representante do Ministério Público, mas principalmente aos senhores jurados, apenas e tão somente para não ‘frustrar sua filha’, jogando por terra todo o trabalho feito no dia de hoje; a atitude do advogado não pode ser aceita como normal ou minimamente aceitável, sendo estes os motivos pelos quais se justifica a fixação da multa”.

Leia mais

Aluno não pode ser prejudicado por alteração de grade curricular, diz TJ/Amazonas

Julgado da Corte de Justiça firmou que embora a Universidade do Estado do Amazonas tenha autonomia didático científica, aí se incluindo a prerrogativa de...

Zona Franca não é incompatível com a política de redução da carga tributária, diz ABIR a Moraes

O Ministro Alexandre de Moraes recebeu pedido da ABIR-Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas Não Alcóolicas para ingresso na ADI-7153, na qual...

Mais Lidas

Últimas

Atentado contra os pais cometido por menor também é causa de exclusão da herança, decide STJ

Ao rejeitar o recurso especial de um homem que matou os pais quando tinha 17 anos de idade, a...

União e Funai têm até um ano para destinar área de sobrevivência ao grupo indígena Fulkaxó

A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão que estabeleceu o prazo de até um ano...

CNJ mantém decisão que impediu posse de juiz branco em vaga de cotista

O Plenário do Conselho Nacional de Justiça ratificou a liminar que suspendeu a posse de candidato a concurso para...

Pleno do STJ estabelece regras de antiguidade para composição do TRF-6

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça aprovou nesta quarta-feira (25/5) a distribuição de vagas para a composição inicial...