Banco de Talentos é instituído no Poder Judiciário do Amazonas

Banco de Talentos é instituído no Poder Judiciário do Amazonas

Dentro do seu planejamento estratégico, o Tribunal do Amazonas instituiu a política de gestão de pessoas compreendendo o Banco de Talentos do Poder Judiciário, a fim de atender a processos de recrutamento interno dentre os servidores com o fim de identificar competências socioprofissionais e o aproveitamento de potencialidades individuais. O objetivo é a criação de um banco de dados com registros funcionais, experiências profissionais e habilidades dos servidores que podem ajudar no planejamento e no gerenciamento de talentos. 

A inserção de dados por parte dos servidores é espontânea, e pretende dar maior visibilidade, valorização e reconhecimento dos servidores do Tribunal de Justiça do Amazonas, propiciando a retenção de talentos, subsidiando o processo de recrutamento interno.

Poderão inscrever-se no Banco de Talentos do TJAM servidores do seu quadro efetivo e que estejam ativos, licenciados ou cedidos para outros órgãos. A inscrição no Banco de Talentos é facultativa e é condicionada às regras estabelecidas na Portaria nº 2358, de 06 de dezembro de 2021.

A inscrição para o Banco de Talentos ficará permanentemente aberta por meio do endereço disponível na intranet.tjam.jus.br, do Tribunal de Justiça do Amazonas. O Banco de Talentos tem sua origem na Resolução nº 240 do CNJ, que estabelece a Política de Gestão de Pessoas do Poder Judiciário.

Leia a Portaria

Leia mais

Juiz mantém prisão de entregadores suspeitos de agredir morador de condomínio em Manaus

Durante audiência de custódia na terça-feira (16), o Juiz Rafael Rodrigo da Silva Raposo confirmou a legalidade da prisão dos entregadores Richarley Cavalcante Araújo,...

Turma Recursal anula sentença e garante produção de provas em caso de acidente de trânsito

O juiz possui o poder discricionário de determinar quais provas são relevantes para o caso, baseando-se no conjunto de evidências presentes nos autos. A...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Juiz mantém prisão de entregadores suspeitos de agredir morador de condomínio em Manaus

Durante audiência de custódia na terça-feira (16), o Juiz Rafael Rodrigo da Silva Raposo confirmou a legalidade da prisão...

Uso indevido de imagem em campanha publicitária gera dano moral

A Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu que o uso indevido de imagem em campanha...

STF prorroga até setembro prazo de suspensão da desoneração da folha

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou até 11 de setembro a suspensão do processo que...

Pedido de danos morais por cobrança de seguro indevido exige prova das ofensas

Cabe ao fornecedor garantir a eficiência e segurança do serviço prestado, evitando fraudes e inconsistências que prejudiquem o consumidor....