Azul Linhas Aéreas em Manaus é condenada a ressarcir valores e danos morais por cancelamento de voo

Azul Linhas Aéreas em Manaus é condenada a ressarcir valores e danos morais por cancelamento de voo

Em ação cível movida por Cláudio Antônio da Silva, nos autos do processo 0659388-56.2021.8.04.0001, a 5ª Vara do Juizado Especial Cível julgou procedente pedido que levou a acolhida de ressarcimento e indenização por dano moral contra a empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A., por ter a mesma, unilateralmente, procedido a cancelamento de voo e do bilhete de passagem do Autor, recusando-se ao reembolso e sem atender a pedido do consumidor para que a passagem fosse utilizada em outro trecho a seu pedido. A decisão foi subscrita pela magistrada Irlena Leal Benchimol.

Nos autos o consumidor esteve representado por Frota Mendonça Advocacia, sendo demonstrado em juízo os transtornos pelos quais o Autor teve que se submeter , mesmo tendo adquirido o bilhete de passagem com a mais diligente antecedência, no trecho correspondente ao atendimento de seus objetivos. 

A decisão relembra que a lei determina devolução dos valores corrigidos, não assistindo justificativa à conduta da fornecedora em pretender que o crédito dos valores despendidos pelo Requerente pudessem ser substituídos por aquisição de serviços de outra natureza, como possa ter sido pretendido pela Ré.

“Condeno a Ré Azul Linhas Aéreas S.A, a devolução do valor das passagens aéreas canceladas, com incidência de juros e correção, a partir do cancelamento”, firmou a magistrada. A empresa ainda fora condenada ao ressarcimento de danos morais, por se entendê-los pertinente”.

Leia a decisão

Leia mais

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que havia condenado o Amazonas em...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora Rita Bittencourt por reconhecer que...

Mais Lidas

Últimas

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora...

Justiça do Rio nega recurso de mulher condenada por ofensas homofóbicas

O Tribunal do Rio de Janeiro, por unanimidade, negou o recurso de Luciana de Oliveira, condenada por proferir insultos...

Condenado por estupro no Amazonas tem Habeas Corpus negado pela Ministra Laurita Vaz do STJ

A Ministra Laurita Vaz do Superior Tribunal de Justiça negou a Thales da Cunha Ramos Habeas Corpus contra o...