Assassinos de Bruno e Dom Philips viram réus em ação penal do Ministério Público

Assassinos de Bruno e Dom Philips viram réus em ação penal do Ministério Público

Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, Oseney da Costa de Oliveira e Jefferson da Silva Lima foram denunciados pelo Ministério Público Federal perante a Seção Judiciária da Justiça Federal em Tabatinga, no Amazonas, pelos homicídios do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips. 

Ambos os acusados se encontram presos mediante determinação judicial pelo assassinato consistente em duplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Com a ação penal mediante denúncia, os investigados passam à condição de réus em processo penal instaurado ante o juízo competente. 

Embora haja ainda pendências à despeito da necessidade de maiores esclarecimentos sobre a morte ocorrida no dia 05 de junho, porque ainda pairam muitos questionamentos sobre os fatos que envolveram o assassinato de Bruno Pereira e Dom Philips na região amazônica do Vale do Rio Javari, segunda maior terra indígena do Brasil, concluiu-se pela adequação da ação penal.

De qualquer maneira, o Ministério Público Federal entendeu que ante provas da existência do crime e indícios suficientes de autoria, haveria respaldo jurídico para a oferta de ação penal, com a deflagração de uma persecução penal no juízo de Tabatinga. Outras circunstâncias, ainda a serem apuradas, como a possível incidência de um mandante do crime, poderá ser alvo de aditamento à denúncia, firmaram as autoridades. 

Leia mais

Regressão de regime de execução penal deve ser apurado mediante contraditório

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas obteve em julgamento de Agravo de Execução Penal nos autos do processo 0000153-16.2021.8.04.0000, o reconhecimento de que...

Não se conhece de recurso por nulidade de citação sem demonstração de prejuízo à defesa

Nos autos de processo no qual E.E.O. de L, usou de recurso de apelação contra decisão que decretou medidas protetivas de urgência contra sua...

Mais Lidas

Últimas

Alexandre de Moraes não vê o risco de golpe dito como pré anunciado por apoiadores de Bolsonaro

O futuro Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, teria, reservadamente, falado a assessores que não há temor...

Regressão de regime de execução penal deve ser apurado mediante contraditório

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas obteve em julgamento de Agravo de Execução Penal nos autos do processo...

Não se conhece de recurso por nulidade de citação sem demonstração de prejuízo à defesa

Nos autos de processo no qual E.E.O. de L, usou de recurso de apelação contra decisão que decretou medidas...

Não merece reforma decisão que nega acolhimento a recurso por falta de previsão legal

No bojo de investigações que foram instauradas mediante prisão em flagrante delito ante Plantão Criminal da Comarca de Coari/AM,...