Acusado de desferir vários golpes em companheira é pronunciado em menos de três meses

Acusado de desferir vários golpes em companheira é pronunciado em menos de três meses

O Poder Judiciário cearense tem se destacado ao implementar iniciativas inovadoras para promover celeridade e julgar os processos envolvendo violência contra a mulher. Uma dessas ações é o programa “Tempo de Justiça Mulher”, que acompanha casos de feminicídio.

Criado em agosto de 2023, o projeto vem mostrando ótimos resultados, fruto do engajamento das instituições parceiras, tornando as investigações e o julgamento desses crimes mais rápido e eficaz.

Um exemplo disso foi a decisão de pronúncia para o acusado de desferir vários golpes na cabeça da companheira, que ocorreu em apenas 78 dias. Conforme os autos, o réu viu a vítima conversando com outro homem, pegou uma pedra e a acertou várias vezes, não consumando o crime por intervenção policial.

Tramitando desde a data do fato, em 31 de outubro de 2023, o processo já tem data marcada para o julgamento pelo Tribunal do Júri em 15 de março. O réu está preso desde o crime e será julgado por tentativa de feminicídio.

TEMPO DE JUSTIÇA MULHER

O programa “Tempo de Justiça Mulher” é uma extensão do já existente Tempo de Justiça, parceria firmada entre o Poder Judiciário, o Governo do Estado, por meio da Vice-Governadoria, Secretarias das Mulheres, de Segurança Pública e Defesa Social, além de Polícia Civil e Perícia Forense (Pefoce), Ministério Público e Defensoria Pública. No TJCE, a desembargadora Angela Teresa Gondim Carneiro Chaves está à frente dos trabalhos.

O objetivo é estabelecer ações conjuntas dos Poderes e órgãos participantes na investigação, no processo e no julgamento dos crimes dolosos contra a vida de mulheres (tipificados como feminicídio). O intuito é acelerar a investigação e o julgamento desses crimes.

Com informações do TJ-CE

Leia mais

STF contraria STJ e declara válida invasão de casa por policial ante atitude do suspeito

O colegiado do Supremo Tribunal Federal, por maioria de votos, decidiu que são válidas invasões da Polícia Militar a domicílios nos casos em que...

Esposa pode pedir para retirar sobrenome do marido mesmo durante o casamento

Mesmo casada, a mulher tem o direito de solicitar a retirada do sobrenome adquirido após o matrimônio, por meio de um processo administrativo ou...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

Juiz absolve sumariamente ré em processo que tramitava havia dez anos

Por entender que a absolvição por falta de provas seria o desfecho natural do processo, que já se arrastava...

Fachin concede benefício e converte pena de condenado por tráfico

As denúncias anônimas e a apreensão de quantidades fracionadas de droga não comprovam a dedicação ao tráfico, não podendo,...

Averbação em matrícula de bem impenhorável não se confunde com a efetiva penhora

O fato de o devedor possuir bem considerado impenhorável, por si só, não afasta a possibilidade da averbação premonitória...

Justiça do Trabalho reintegra ao trabalho homem que pediu demissão durante quadro de depressão

A 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (RO/AC) manteve a decisão da 1ª Vara do...