Tribunal de Justiça majora condenação a homem que assassinou e roubou a namorada

Tribunal de Justiça majora condenação a homem que assassinou e roubou a namorada

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, em sessão nesta quinta-feira (1º/2), decidiu majorar a pena aplicada ao homem que assassinou e roubou uma servidora pública, de quem era namorado, em 7 de janeiro de 2022.

O crime ocorreu em um edifício do bairro Fazenda, em Itajaí, no litoral norte do Estado. A pena pelos crimes de latrocínio e violência psicológica contra mulher foi fixada pelo órgão colegiado em 41 anos, um mês e 27 dias de reclusão, em regime inicialmente fechado.

Também foi mantida a prisão preventiva do réu, decretada dias após a localização do corpo da vítima, asfixiada em sua residência, mesmo que ainda reste a ele a possibilidade de recursos aos tribunais superiores. “Garantia da ordem pública”, justificou o desembargador relator.

O voto pela manutenção da prisão foi seguido de forma unânime pelos demais integrantes do órgão julgador. A pena aplicada no 1º grau, em sentença prolatada em 16 de dezembro de 2022, havia condenado o réu a 36 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão.

A denúncia apontou que o homem mantinha um relacionamento com a servidora e que, depois de matá-la por asfixia, fugiu no carro da vítima com celular, cartões bancários e certa quantia em dinheiro. Os bens e recursos foram usados para adquirir drogas ou entregues em garantia de dívidas. O processo tramita em segredo de justiça.

Com informações do TJ-SC

Leia mais

Juiz condena Telefônica Brasil a indenizar em R$ 5 mil cliente que não contratou conteúdos avulsos

Sentença do Juiz Jorsenildo Dourado do Nascimento, do 18º Juizado Cível fixou em R$ 5 mil o valor de indenização considerada devida pela Telefônica...

Bemol utiliza telas sistêmicas e vence ação de alegação de fraude em contrato de empréstimo

Em uma ação movida contra a Bemol, o autor alegou que a loja negou a venda de um produto a prazo devido a supostos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Juiz condena Telefônica Brasil a indenizar em R$ 5 mil cliente que não contratou conteúdos avulsos

Sentença do Juiz Jorsenildo Dourado do Nascimento, do 18º Juizado Cível fixou em R$ 5 mil o valor de...

Mantida prisão domiciliar de advogada acusada de integrar organização criminosa

Em decisão interlocutória (que não encerra o processo) proferida no âmbito da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do...

Justiça reduz pena de condenado por morte de cinegrafista em protesto

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) decidiu nessa quarta-feira (17) reduzir a pena de Caio Silva...

Lei institui licença para mães e pais concluírem cursos acadêmicos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, nessa quarta-feira (17), o projeto de lei que prorroga os prazos...