Toffoli atende a pedido do MP-RS e suspende novo júri da Boate Kiss

Toffoli atende a pedido do MP-RS e suspende novo júri da Boate Kiss

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, acatou o pedido do Ministério Público do Rio Grande do Sul para suspender a sessão do Tribunal do Júri marcada para o próximo dia 26 que iria julgar o caso da Boate Kiss.

No recurso ao STF, o MP-RS sustentou que o júri deveria ser suspenso até que fosse julgada uma apelação contra a anulação do primeiro julgamento, em que quatro réus foram condenados pelo incêncio ocorrido na boate, na cidade em Santa Maria (RS), em 2013.

A Procuradoria-Geral da República se manifestou a favor da concessão do pedido feito pelo MP gaúcho. Ao analisar o caso, Toffoli inicialmente demonstrou a viabilidade jurídica da solicitação pela via do recurso extraordinário.

O ministro afirmou que, além dos aspectos jurídicos, é preciso levar em conta os contornos do caso, com a possibilidade concreta de que o prolongamento do imbróglio jurídico faça vítimas secundárias.

O magistrado citou reportagem do jornal Folha de S. Paulo que relata que familiares dos 242 mortos na tragédia vivem rotina de doenças, depressão e suicídio.

“A realização da sessão do Júri designada para ocorrer no próximo dia 26/2/2024 pode conduzir a resultado diverso do primeiro julgamento, causando tumulto processual, não se podendo ainda, por razões óbvias, antever o desfecho do recurso extraordinário. Esse cenário autoriza concluir pela possibilidade de virem a ser proferidas decisões em sentidos diametralmente opostos, tornando o processo ainda mais demorado, traumático e oneroso, em razão de eventuais incidentes.”

Pet 12.103

Com informações do Conjur

Leia mais

Liminar determina reconstrução de muro destruído por caminhão da Prefeitura

Amazonas - O juiz Romulo Garcia Barros da Silva, da 2ª Vara Cível de Tefé, concedeu liminar para que o Município reconstrua a casa...

Sem que funcionário avulso exerça riscos iguais aos do permanente, fixa sem a gratificação

O Supremo Tribunal Federal, no julgamento da Tema 222 — que discutia ao pagamento do adicional de risco previsto no artigo 14 da Lei...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

Liminar determina reconstrução de muro destruído por caminhão da Prefeitura

Amazonas - O juiz Romulo Garcia Barros da Silva, da 2ª Vara Cível de Tefé, concedeu liminar para que...

Tim Celular é condenada em R$ 10 mil por inscrição de dívida prescrita em Plataforma de cobrança

Sendo a justiça acionada com pedido de declaração de que  o credor não possa mais se satisfazer com a...

Sem que funcionário avulso exerça riscos iguais aos do permanente, fixa sem a gratificação

O Supremo Tribunal Federal, no julgamento da Tema 222 — que discutia ao pagamento do adicional de risco previsto...

Por oferta de falso trabalho em tv e receber vantagem indevida mulher é condenada por estelionato

A 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão da 2ª Vara de...