MPRJ obtém a condenação de homem que matou vizinho por tentar intervir em briga com a mulher

MPRJ obtém a condenação de homem que matou vizinho por tentar intervir em briga com a mulher

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Justiça Junto ao II Tribunal do Júri da Capital, obteve a condenação de um homem que matou o vizinho a facadas apenas por tentar intervir em uma briga que tinha com a mulher. João Paulo Soares de Sousa foi sentenciado a 23 anos de prisão por homicídio qualificado e lesão corporal qualificada.

A promotora de Justiça Simone Sibilio demonstrou ao Conselho de Sentença que João Paulo agrediu a mulher e matou com seis golpes de faca o vizinho, simplesmente por ter ido verificar o que estava acontecendo no apartamento de baixo. Momentos antes do homicídio, ele agrediu a ex-companheira com um soco no rosto, chutes em seu corpo e batidas da cabeça contra a parede. Os crimes foram cometidos na madrugada do dia 25 de dezembro de 2019, na Rocinha.

“É preciso acabar com a cultura de que em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. É preciso acabar com a cultura de silenciar as vítimas. A trágica morte de uma pessoa que foi tentar ajudar uma mulher agredida não é culpa da vítima, mas sim da sanha assassina do acusado. Espero que esse julgamento sirva de alento à viúva da vítima, para que possa seguir sua vida com o filho. E de esperança para a vítima de violência doméstica, de que não teve culpa pela morte do vizinho”, mencionou a promotora do caso, que recebeu todas as vítimas e garantiu a proteção de seus direitos.

Na decisão, o juiz Daniel Werneck, do II Tribunal do Júri da Capital, determinou que o condenado, que já estava preso preventivamente, seja mantido em regime fechado para o cumprimento da pena. O MPRJ recorreu para aumentar a pena do réu.

Com informações do MPRJ

Leia mais

Amazonas Energia deve pagar o consumidor substituto por queda de rede

A empresa de energia elétrica é responsável pelos danos causados a aparelhos domésticos em decorrência de oscilação de energia. Se esses danos são ressarcidos...

Candidato aprovado fora do número de vagas em concurso tem nomeação confirmada

O candidato aprovado fora do número de vagas previstas em edital de concurso, mas que passe a figurar entre as vagas existentes devido a...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

Amazonas Energia deve pagar o consumidor substituto por queda de rede

A empresa de energia elétrica é responsável pelos danos causados a aparelhos domésticos em decorrência de oscilação de energia....

Candidato aprovado fora do número de vagas em concurso tem nomeação confirmada

O candidato aprovado fora do número de vagas previstas em edital de concurso, mas que passe a figurar entre...

Justiça permite a maior de idade, por deficiência, habilitar-se como dependente de servidor

É possível ao filho maior de 21 anos de idade obter a declaração judicial de dependência do servidor na...

Sem prestar informações ao Promotor de Justiça, condenação de ex-prefeito é mantida por improbidade

Decisão de Colegiado do Tribunal do Amazonas confirma  que o desatendimento intencional pelo Prefeito de informações a serem prestadas...