Indenização a servidor comissionado do Senado na exoneração avança

Indenização a servidor comissionado do Senado na exoneração avança

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (22) proposta do senador Weverton (PDT-MA) que prevê indenização aos servidores comissionados do Senado exonerados sem justa causa. O texto recebeu parecer favorável do senador Jorge Kajuru (PSB-GO) e segue agora para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

O PL 1.107/2023 obriga o Senado a pagar uma remuneração bruta a cada 12 meses trabalhados em até 10 dias da data da exoneração sem motivo de servidor exclusivamente comissionado (servidores não efetivos, contratados sem concurso público). Não serão contados períodos descontínuos ou em outros órgãos públicos.

Em caso de morte do servidor, a indenização será devida ao pensionista e paga em até dez dias da data de falecimento. O projeto também manda pagar aviso prévio nesses casos, como é feito na iniciativa privada.

Kajuru alterou o texto original para dobrar o valor da indenização, que era de meio salário bruto a cada ano trabalhado. Ele também retirou a Câmara dos Deputados e o Tribunal de Contas da União, argumentando que a Constituição não permite que o Senado legisle para esses órgãos.

Para ele, o direito ao aviso prévio para o servidor exclusivamente comissionado é medida que consagra a dignidade da pessoa humana.  Do mesmo modo, o pagamento de indenização pecuniária. Na sua avaliação, a iniciativa serve para que o servidor possa fazer frente à nova situação, fora do cargo, de forma semelhante à do seguro-desemprego, pago aos trabalhadores da iniciativa privada.

A aprovação foi comemorada pelo senador Weverton que classificou a iniciativa como justa com os servidores comissionados.

— Esta Casa está fazendo justiça aos nossos servidores comissionados que se dedicam aqui de manhã, de tarde e de noite, sem hora, e quando saem, quebrando aqui o seu vínculo, o mínimo que se pode fazer, como é feito hoje, em qualquer outra empresa com seu seguro desemprego.

A senadora Eliziane Gama (PSD-MA) reforçou o caráter de proteção trabalhista para esses profissionais.

— A gente percebe isso em relação aos servidores comissionados. Eles trabalham anos aqui e no fim acabam não tendo essa proteção.

Fonte: Agência Senado

Leia mais

Juiz mantém prisão de entregadores suspeitos de agredir morador de condomínio em Manaus

Durante audiência de custódia na terça-feira (16), o Juiz Rafael Rodrigo da Silva Raposo confirmou a legalidade da prisão dos entregadores Richarley Cavalcante Araújo,...

Casamento Coletivo em benefício de grupos socialmente vulneráveis será promovido no Amazonas

Solenidade ocorrerá na próxima sexta-feira (19/07) no Largo de São Sebastião (centro de Manaus) em benefício de 164 casais, incluindo: LGBTQIA+, PCDs, indígenas, idosos,...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Homem é condenado na Espanha por ataques racistas a Vini Jr e Rüdiger

O Real Madrid divulgou nesta quarta-feira (17) que um homem foi condenado pela Justiça da Espanha a oito meses...

PEC que anistia partidos só deve ser votada em agosto no Senado

A proposta que perdoa multas de partidos políticos que não cumpriram as cotas de gênero e raça nas eleições...

Por não fazer nada, mulher vira ré pela tentativa de homicídio do filho

​Uma mulher virou ré na última sexta-feira (12/7) pela tentativa de homicídio do filho de apenas dois anos, em...

CCJ do Senado adia votação da PEC da autonomia financeira do BC

Para tentar chegar a um acordo com o governo federal, ficou para agosto a votação da Proposta de Emenda à...