Droga apreendida em “trouxinha” é um dos requisitos para manter crime de tráfico, diz TJAM

Droga apreendida em “trouxinha” é um dos requisitos para manter crime de tráfico, diz TJAM

Nos autos do processo 0001758-96.2015.8.04.4400 Lucas Pacheco da Silva recorreu de ação penal que foi julgada procedente contra a sua liberdade, lhe sendo infligida pena privativa de reclusão por se haver reconhecido a conduta de tráfico de drogas, prevista no artigo 33 da Lei regulamentadora. Na apelação, Lucas pediu a improcedência da ação penal ou a desclassificação para o crime de porte de substância entorpecente para uso pessoal, previsto no artigo 28 da Lei 11.343/2006. No julgamento ante a Primeira Câmara Criminal, a apelação foi declarada improcedente, vindo o Relator, José Hamilton Saraiva dos Santos, em voto seguido à unanimidade, pelo Colegiado, a esclarecer os motivos e as circunstâncias que, concretamente, impediram a desclassificação pretendida. 

Para a Câmara Criminal se encontravam presentes a prova da autoria e materialidade do delito que foi imputado ao Recorrente, com declarações e depoimentos de corréu e dos agentes policiais, que, como se reconhece no acórdão, são meios idôneos de prova, que foram devidamente sopesados pelo juízo recorrido. 

“A materialidade do crime foi demonstrada, de forma inequívoca, pelo Laudo Pericial, o qual atestou, como sendo maconha, o material correspondente da substância ilícita. Por sua vez, a autoria restou comprovada pelas declarações dos Agentes Policiais e do Corréu, perante a Autoridade Policial, as quais foram, posteriormente, ratificadas perante o douto Juízo”.

A desclassificação pedida para o crime de porte de drogas para uso pessoal foi considerada incabível porque “a quantidade e a natureza das substâncias entorpecentes apreendidas, a forma como as drogas estavam acondicionadas em “trouxinhas”, a presença de quantia em dinheiro em espécie, além das condições em que se desenvolveu a prisão em flagrante, iniciada em razão de denúncia anônima acerca da prática do crime de Tráfico Ilícito de entorpecentes, bem como a existência de outra ação penal em curso, em face do Recorrente, são capazes de demonstrar a finalidade mercantil das substâncias apreendidas”.

Leia o acórdão

Leia mais

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que havia condenado o Amazonas em...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora Rita Bittencourt por reconhecer que...

Mais Lidas

Últimas

Não há dano a imagem na publicação de foto em reportagem com nítido interesse público, diz TJ/AM

A Desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura, ao relatar apelação, reverteu a decisão do juiz Paulo Feitoza que...

Manaus Ambiental é condenada a indenizar consumidor pelo seu nome ter sido indevidamente negativado

O Desembargador Cláudio Roessing determinou que a Águas do Amazonas retirasse do cadastro de inadimplentes o nome da consumidora...

Justiça do Rio nega recurso de mulher condenada por ofensas homofóbicas

O Tribunal do Rio de Janeiro, por unanimidade, negou o recurso de Luciana de Oliveira, condenada por proferir insultos...

Condenado por estupro no Amazonas tem Habeas Corpus negado pela Ministra Laurita Vaz do STJ

A Ministra Laurita Vaz do Superior Tribunal de Justiça negou a Thales da Cunha Ramos Habeas Corpus contra o...