“DJ” manteve em cárcere privado mulher e filhos durante 17 anos sob maus tratos e torura

“DJ” manteve em cárcere privado mulher e filhos durante 17 anos sob maus tratos e torura

DJ foi como ficou conhecido Antônio Santos Silva, preso em flagrante delito no Rio de Janeiro por manter a mulher e um casal de filhos em cárcere privado por mais de 17 anos. A prisão decorreu de uma notícia anônima levada à Polícia Militar daquele Estado. A família restou libertada em operação que liberou a mulher e  os filhos do criminoso. Ambos se encontravam complementarmente desnutridos. 

O fato ocorreu no Bairro de Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. São imputados a DJ os crimes de cárcere privado, maus tratos e tortura. Resgatados pela ação militar, as vítimas foram encaminhadas ao hospital público com acentuado grau de desidratação e desnutrição grave que foi posteriormente estabilizado. 

Os militares conduziram Antônio Silva ao Distrito Policial posteriormente a sua captura onde foi autuado em flagrante delito pois o cárcere privado é crime permanente. Narrou-se a polícia que o ambiente era estarrecedor. As vítimas estavam amarradas e sujas. A mulher vítima, em depoimento, narrou a Polícia que DJ nunca permitiu que trabalhasse e que recebia ameaças de morte do marido. 

Antonio era conhecido nas vizinhanças por DJ. O infrator colocava música em níveis muito altos em sua casa, e, o objetivo era o de abafar os pedidos de socorro das vítimas. Ao sair de casa, deixava as vítimas trancadas, e só retornava ao anoitecer. No entanto, ao ser interrogado por ocasião do flagrante negou os fatos, e firmou que sempre cuidava da família. 

 

Leia mais

Proibir policial investigado de ser promovido na carreira viola a presunção de inocência

O Tribunal de Justiça do Amazonas dispôs que as regras que dispõem sobre a moralidade administrativa não se confundem nem podem se sobrepor às...

Vítima de estelionato em venda de carro na OLX consegue rever o veículo

Após anunciar a venda do veículo na OLX, o proprietário do carro João Victor logo conseguiu um comprador. O interesse pelo automóvel foi tão...

Mais Lidas

Últimas

Publicações em rede social que provoquem risos não podem ser tidas como criminosas

A postagem na rede social Twitter consistiu no comentário sobre uma notícia, veiculada em telejornal estrangeiro, de furto de...

Incitar o crime por rede social é conduta que agride a paz pública

Por ter feito publicações no Facebbok enaltecendo uma facção criminosa e ter atingido um número indeterminado de público, Lucas...

STJ passa a receber inscrições para sustentação oral nas sessões virtuais de julgamento

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) começou ontem (10), a receber a inscrição de advogados para a realização de...

Pagamento dobrado de férias em atraso ao trabalhador é derrubado no STF

O empregador que era obrigado a pagar em dobro a remuneração de férias, inclusive o terço constitucional, sempre que...