Configurada a pretensão resistida na cobrança judicial do DPVAT, dispensa-se o pedido prévio

Configurada a pretensão resistida na cobrança judicial do DPVAT, dispensa-se o pedido prévio

Tendo a Seguradora contestado minuciosamente o pedido de pagamento do sinistro, combatendo detidamente a ação inaugurada contra si, há resistência na solução administrativa do requerimento que configura mérito do exame judicial. Com essa conclusão o Desembargador Délcio Santos, do TJAM, negou à Seguradora DPVAT efeito jurídico pretendido quanto à falta de interesse de agir de autor que moveu processo judicial sem prévio requerimento administrativo de seguro decorrente de acidente de trânsito. 

Na cobrança judicial contra a Seguradora o autor narrou que sofreu acidente de trânsito do tipo colisão, situação da qual esteve conduzindo um dos veículos envolvidos. Posteriormente, depois de ser atendimento no hospital, foi diagnosticado com fratura exposta da qual decorreu incapacidade parcial permanente. A Seguradora foi condenada ao pagamento de R$ 13.500 mil. No recurso, além de outros pontos, combateu o volume da condenação, alegando julgamento ultra petita- além do pedido-  pois o autor teria requerido apenas  R$ 1.350 mil.

No exame do mérito, o acórdão firmou que a questão deva ser solucionada pela “simples soma aritmética referente ao valor do teto da indenização que equivale a R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos), em percentual estipulado na tabela referente a “perda anatômica e/ou funcional completa”, aplicável ao caso concreto do autor,  fixando o percentual de 10% sobre o teto retromencionado.  

“Deixo de analisar a alegação de julgamento ultra petita, notadamente por acolher a pretensão recursal quanto a aplicação correta da tabela legal ao caso concreto. Sobre o valor da indenização devida, deverão incidir juros de mora e correção monetária”, dispôs-se em arremate final. 

Processo: 000710-51.2018.8.04.3801     

Leia a ementa:

Apelação Cível / PagamentoRelator(a): Délcio Luís SantosComarca: CoariÓrgão julgador: Segunda Câmara CívelData do julgamento: 26/01/2024Data de publicação: 26/01/2024Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO DPVAT. INTERESSE DE AGIR. AUSÊNCIA DE PRÉVIO REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO. NÃO ACOLHIMENTO. MODULAÇÃO DOS EFEITOS DO RE Nº 631.240/MG. CONTESTAÇÃO PORMENORIZADA DE MÉRITO PELA SEGURADORA QUE CONFIRMA O INTERESSE DE AGIR DA AUTORA. AMPUTAÇÃO DO HÁLUX DIREITO. INVALIDEZ PERMANENTE PARCIAL COMPLETA.

Leia mais

Fisco não pode liquidar seguro-garantia antes do fim da execução fiscal, fixa STJ

O seguro-garantia oferecido pelo contribuinte nas execuções fiscais só pode ser alvo de liquidação pela Fazenda quando o processo alcançar um resultado definitivo. sse entendimento...

Captura de Selfie sem prova de telefone do usuário implica falha de Banco e anulação de contrato

Contrato celebrado por meio eletrônico, mediante assinatura por biometria facial, com captura de selfie, sem a prova do telefone do usuário, foi declarado nulo...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Últimas

STF afasta limitação de vagas para mulheres em concurso do Corpo de Bombeiros do Piauí

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux concedeu liminar para que eventuais nomeações para o cargo de...

STF aceita denúncia contra ex-integrantes da cúpula da PMDF por omissão nos atos de 8/1

Por unanimidade, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu denúncia contra sete oficiais da Polícia Militar do...

TJRJ mantém multa à empresa por vazamento de chorume em Gramacho

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) negou pedido da empresa Gás Verde e manteve a validade...

Flavio Dino toma posse no Supremo Tribunal Federal

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Flávio Dino será empossado nesta quinta-feira (22) no cargo de ministro do...