TJAM inicia capacitação para uso do SEEU pelas comarcas do interior do Estado

TJAM inicia capacitação para uso do SEEU pelas comarcas do interior do Estado

O Tribunal de Justiça do Amazonas, em conjunto com o Conselho Nacional de Justiça, anunciou que está em fase implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU) nas comarcas do interior do Estado, tendo iniciado os trabalhos no último dia 17/06 e com previsão de término para 8 de agosto próximo.

Nesse período, haverá suspensão dos prazos nos processos de execução penal em todas as unidades jurisdicionais do interior, exceto casos de urgência.

Nos casos urgentes, enquanto não estiver finalizada a migração e a validação dos respectivos processos no SEEU, os pedidos deverão ser encaminhados eletronicamente ao e-mail institucional [email protected]

O processo de implantação está sendo feito por uma equipe de servidores na sede do Conselho Nacional de Justiça, coordenado pela juíza Fernanda Orsomarzo, e com apoio do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do CNJ e do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo do TJAM.

A implantação do sistema e a suspensão de prazos estão previstas na Portaria n.º 1747, disponibilizada no Diário da Justiça Eletrônico de 13/06, que cita a Resolução n.º 24/2019 do TJAM, a qual regulamenta a implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU).

A portaria traz também o cronograma de capacitação para o público interno e externo para uso do sistema, que inicia-se nesta terça-feira (21/06), por videoconferência, pelo link informado na portaria, para os servidores; nos dias seguintes serão oferecidos treinamentos aos magistrados, assessores, equipe de administração penitenciária, advogados, defensores públicos, promotores e equipe da Central de Mandados e Oficiais de Justiça, conforme descrito na programação.

Depois, será realizado reforço na capacitação a grupos de servidores por Varas, com equipe do Conselho Nacional de Justiça, de 27/06 a 04/07. O cronograma completo pode ser consultado no arquivo anexo a esta página ou na portaria.

Os órgãos externos devem indicar os nomes dos servidores ou colaboradores responsáveis ao TJAM para fins de acesso ao sistema.

Segundo o juiz Romulo Garcia Barros Silva, há vantagens na migração para o SEEU para a execução penal porque com o novo sistema os cálculos para benefícios previstos em lei dos apenados são feitos automaticamente, gerando avisos ao juiz de que os prazos estão próximos e evitando assim atrasos na marcha processual, enquanto no anterior era necessário realizar manualmente essas contas.

“Além disso, existe o ganho maior por unificar todas as execuções penais do Brasil inteiro em um único sistema eletrônico, dando aos gestores públicos uma visão nacional da situação da execução penal no país”, afirma o magistrado.

Fonte: Asscom TJAM

Leia mais

Havendo dúvida na violência doméstica, deve-se resolver a favor do réu

Ainda que no âmbito da violência doméstica e familiar contra a mulher, prevalece o princípio do in dubio pro reo quando a palavra da...

Múltiplas vítimas de assalto no Amazonas motivam denegação de Habeas Corpus ao acusado no STJ

A sentença condenatória que, nessa fase processual, fundamenta que o réu não poderá apelar em liberdade, e se utiliza, para sua fundamentação, dos requisitos...

Mais Lidas

Últimas

STJ nega liminar para suspender ações decorrentes de delação de ex-subsecretário de Saúde do RJ

O desembargador convocado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Olindo Menezes indeferiu liminar em habeas corpus em que a...

STJ determina ressarcimento de cirurgia negada pelo plano

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por maioria, decidiu que uma operadora de plano de saúde...

TST: Auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer vínculo de emprego

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu que um auditor fiscal do trabalho tem competência para reconhecer...

Servidor inativo não precisa justificar para converter licença-prêmio em dinheiro, diz STJ

O servidor federal inativo tem direito a converter em dinheiro períodos adquiridos de licença-prêmio que não tenham sido por...