Justiça manda advogado devolver 50% dos honorários contratados por perder prazo de cliente

Justiça manda advogado devolver 50% dos honorários contratados por perder prazo de cliente

A juíza Lídia de Abreu Carvalho Frota, da 3ª Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Amazonas manteve sentença em caso de um cliente que alegou inércia de advogado contratado para uma causa que resultou na extinção do feito, sem resolução do mérito.

A magistrada manteve sentença do juiz da 14ª Vara do Juizado Especial de Manaus, que determinou a devolução de 50% dos honorários advocatícios e negou danos morais pela teoria da perda de uma chance.

Na ação, a autora alegou que contratou os serviços advocatícios do réu, mas que este teria sido negligente após perder prazos processuais, que resultaram na extinção do feito, com condenação da autora ao pagamento de custas. Na justiça, buscou indenização por danos morais contra o advogado pela perda de uma chance, a devolução dos valores pagos em condenação de custas e a devolução dos honorários contratados pelo advogado.

Em primeiro grau, o magistrado explicou que o advogado não pode garantir o sucesso da parte, e decidiu apenas pela devolução de 50% dos honorários contratuais (50 % de R$ 5 mil reais) ressaltando que não havia prova de que a autora conseguiria vencer a demanda, negando a teoria da perda de uma chance. A autora recorreu, e reafirmou seu direito à indenização.

A 3ª Turma Recursal, através de acórdão relatado pela juíza Lídia de Abreu, manteve a decisão que negou indenização pelos danos morais, não transferir as custas processuais ao advogado e de devolver metade dos honorários, destacando que estes possuem caráter alimentar e que o montante arbitrado estava adequado.

“Considera-se razoável a restituição de 50%, considerando o trabalho desenvolvido pelo demandado antes da extinção prematura do processo. Para o reconhecimento da Teoria da Perda de Uma Chance, necessária a comprovação de que a chance de êxito era real e séria, não bastando que haja mera possibilidade, mas efetiva probabilidade de vitoria no pleito. Como consequencia, também não há como condenar o Requerido ao pagamento das custas processuais decorrentes da extinção do processo citado”, registrou o acórdão.

O recurso foi conhecido, porém desprovido, mantendo íntegra a sentença recorrida.

Leia a ementa:

RECURSO INOMINADO. DIREITO CIVIL. RESPONSABILIDADE CIVIL. ALEGAÇÃO DE INÉRCIA DE ADVOGADO CONSTITUÍDO. RESTITUIÇÃO DE CUSTAS PROCESSUAIS PAGAS E DEVOLUÇÃO DE HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. AUSÊNCIA DE PROVA DE QUE VENCERIA A DEMANDA. DEFERIMENTO DE DEVOLUÇÃO DE 50% DOS HONORÁRIOS CONTRATUAIS. SENTENÇA DE PARCIAL PROCEDÊNCIA MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS NA FORMA DA LEI Nº 9.099/1995, ART. 46. (TJ-AM –  Manaus, Relator: Lídia de Abreu Carvalho Frota, Data de Julgamento: 12/03/2024, 3ª Turma Recursal, Data de Publicação: 12/03/2024)

 

Leia mais

TJ-AM manda que Turma reexamine decisão que condenou a Claro em danos morais por scoring

O Tribunal de Justiça do Amazonas aceitou Reclamação da Claro S.A contra a 2ª Turma Recursal, e determinou que seja reexaminada uma decisão que...

Supremo invalida lei que garantia porte de armas para vigilantes e seguranças

Por unanimidade, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) invalidou norma do Estado do Espírito Santo que autorizava o porte de arma de fogo...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Santander é condenado por negligenciar saúde mental dos empregados

O Banco Santander S.A foi condenado pela Justiça do Trabalho ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no...

Imóvel com uso comercial também pode ser bem de família

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho afastou a penhora de imóvel do dono do Colégio Teorema, de...

Regulação da IA precisa proteger direitos fundamentais, diz Barroso

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, defendeu, nesta sexta-feira (12), a regulamentação da Inteligência...

Chapecoense deve indenizar família de chefe de segurança morto em acidente aéreo

A Associação Chapecoense de Futebol (Chapecoense), de Santa Catarina, foi condenada pela Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho,...