Ministério Público registra Leda Mara com 99 votos e Alberto Rodrigues, com 36, à cargo de Ministro

Ministério Público registra Leda Mara com 99 votos e Alberto Rodrigues, com 36, à cargo de Ministro

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) indicará ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) os membros que se candidataram ao cargo de Ministro do STJ. O prazo definido pela Diretoria-Geral do STJ para o envio das informações é 15/03/2024.

O Procurador-Geral de Justiça (PGJ), Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, e a Promotora de Justiça Leda Mara Nascimento Albuquerque representarão o MP amazonense na disputa com outros candidatos indicados pelos respectivos Ministérios Públicos brasileiros para integrarem a lista sêxtupla do STJ. Essa vaga, anteriormente ocupada pela Ministra Laurita Hilário Vaz, do Ministério Público Federal, é a sétima cadeira do tribunal.

O critério de antiguidade estabelece o posicionamento dos nomes indicados. A Promotora de Justiça Leda Albuquerque e o PGJ Alberto Nascimento, atualmente posicionados em 27º e 35º lugares na lista de antiguidade do MPAM, figurarão respectivamente em primeira e segunda posição na lista a ser enviada ao STJ.

Como cumprimento protocolar, considerando que havia apenas dois membros inscritos para a lista sêxtupla do Órgão, o MPAM possibilitou, nesta segunda-feira, 19, um processo de escolha interna de candidatos, de forma virtual, por meio do sistema VOTUS, encerrando-se às 16h. O total de votos contabilizados foi de 99 para a Promotora de Justiça Leda Albuquerque, 36 para o PGJ Alberto Nascimento, além de 12 votos em branco e 1 voto nulo, totalizando 148 votos.

Com informações do Ministério Público do Amazonas

Leia mais

TJ-AM manda que Turma reexamine decisão que condenou a Claro em danos morais por scoring

O Tribunal de Justiça do Amazonas aceitou Reclamação da Claro S.A contra a 2ª Turma Recursal, e determinou que seja reexaminada uma decisão que...

Supremo invalida lei que garantia porte de armas para vigilantes e seguranças

Por unanimidade, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) invalidou norma do Estado do Espírito Santo que autorizava o porte de arma de fogo...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Santander é condenado por negligenciar saúde mental dos empregados

O Banco Santander S.A foi condenado pela Justiça do Trabalho ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no...

Imóvel com uso comercial também pode ser bem de família

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho afastou a penhora de imóvel do dono do Colégio Teorema, de...

Regulação da IA precisa proteger direitos fundamentais, diz Barroso

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, defendeu, nesta sexta-feira (12), a regulamentação da Inteligência...

Chapecoense deve indenizar família de chefe de segurança morto em acidente aéreo

A Associação Chapecoense de Futebol (Chapecoense), de Santa Catarina, foi condenada pela Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho,...