Defensoria e Banco do Brasil firmam contrato para liberação de convênio

Defensoria e Banco do Brasil firmam contrato para liberação de convênio

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) firmou contrato nesta terça-feira (19) com o Banco do Brasil para o recebimento de R$ 1,5 milhão de convênio com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O contrato foi assinado pelo defensor geral, Ricardo Paiva, e por representantes da instituição financeira na sede da Defensoria.

Participaram da assinatura do contrato a gerente de relacionamento do Banco do Brasil, Karol Souza, o gerente de negócios, Rodrigo Felipe Dias, e a diretora financeira da DPE-AM, Vladya Pascarelli. “Estamos aqui para a abertura de conta de convênio para o recebimento de recursos federais”, disse Rodrigo. Ricardo Paiva agradeceu a assinatura do contrato e afirmou que a Defensoria está à disposição para essa e futuras parcerias.

O convênio com o Depen no valor de R$ 1.515.120,95 tem como objetivo empregar os recursos para fortalecer o atendimento jurídico e psicossocial às pessoas privadas de liberdade e seus familiares.

Os recursos deverão garantir atendimento jurídico e psicossocial especializado e integral aos presos das unidades prisionais da região de Manaus, incrementando a atividade do Núcleo de Atendimento Prisional (NAP) da Defensoria, no Centro de Recebimento e Triagem, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e no Centro de Detenção Feminino (CDF), todos da cidade de Manaus.

Fonte: Asscom DPE-AM

Leia mais

Juiz deve analisar condições sociais e pessoais do segurado em aposentadoria por invalidez

Segurado do INSS que nessa condição leva o Instituto Nacional do Seguro Social à condição de Réu em ação acidentária e cuja incapacidade para...

Proibir policial investigado de ser promovido na carreira viola a presunção de inocência

O Tribunal de Justiça do Amazonas definiu que as regras que dispõem sobre a moralidade administrativa não se confundem nem podem se sobrepor às...

Mais Lidas

Últimas

TRF-3 diz que marcas de indústria de brinquedo podem ser penhoradas

A Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) ratificou decisão da 10ª Vara de Execuções Fiscais...

Juiz deve analisar condições sociais e pessoais do segurado em aposentadoria por invalidez

Segurado do INSS que nessa condição leva o Instituto Nacional do Seguro Social à condição de Réu em ação...

Publicações em rede social que provoquem risos não podem ser tidas como criminosas

A postagem na rede social Twitter consistiu no comentário sobre uma notícia, veiculada em telejornal estrangeiro, de furto de...

Incitar o crime por rede social é conduta que agride a paz pública

Por ter feito publicações no Facebook enaltecendo uma facção criminosa e ter atingido um número indeterminado de público, Lucas...