Justiça do Acre condena avô que estuprou neto de cinco anos de idade

Justiça do Acre condena avô que estuprou neto de cinco anos de idade

O Juízo da Vara Única de Xapuri, no Acre, condenou um homem por estupro de vulnerável. Ele deve cumprir 19 anos e 3 meses de reclusão, em regime inicial fechado. O direito de recorrer em liberdade foi negado.

Os crimes ocorreram no primeiro semestre de 2020. Na época dos fatos, o réu tinha 59 anos de idade e a vítima, seu neto, possuía cinco. A criança contou para sua mãe que enquanto ela estava trabalhando seu avô o chamava para o quarto várias vezes. Então, contou com detalhes o que ocorria.

Quando foi confrontado, o agressor confessou os crimes. A defesa pediu que fosse aplicada a pena mínima, justificando que ele sofre de depressão e toma remédio tarja preta.

Na audiência, a família descreveu que o comportamento da criança se alterou com o tempo, tornando-se triste e agressiva, sendo esses principais sintomas dos transtornos emocionais adquiridos. Devido ao estado de nervos, a vítima passou a roer objetos, estar mais calada e chorar muito, por isso segue fazendo acompanhamento psicológico.

O juiz Luís Pinto afirmou que ação está impregnada de uma crueldade injustificável. “O comportamento adequado e razoável que se espera de um familiar é cuidado”, pondera o magistrado sobre as violações.

A pena foi aumentada pelo fato de o réu ter prevalecido de sua condição de avô materno, denotando maior reprovação social pelo abuso das relações familiares. Uma vez que a relação de parentesco envolve em si a convivência e confiança, que aqui foram rompidas. Por fim, também foi considerada a continuidade delitiva, pois ocorreu a reiteração da conduta por três vezes.

Fonte: Asscom TJDFT

Leia mais

Juiz viola o momento adequado para aplicar o ônus da dinâmica das provas e tribunal anula sentença

Age com ofensa ao contraditório e à  ampla defesa a decisão que, inadequadamente, antecipa o o julgamento da lide, por entender dispensáveis outras provas,...

2ª Turma Recursal mantém indenização de R$ 10 mil por cancelamento de voo

A Segunda Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) confirmou condenação da LATAM Airlines por cancelamento de voo sem justificativa plausível. O...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Bemol é condenada por venda de mercadoria com vícios ocultos em Manaus

O Juiz George Hamilton Lins Barroso, da 22ª Vara...

Destaques

Últimas

Motorista que se envolveu em acidente com viatura do Corpo de Bombeiros deve ser indenizado

O Distrito Federal foi condenado a indenizar motorista que se envolveu em acidente com viatura do Corpo de Bombeiro...

Juiz viola o momento adequado para aplicar o ônus da dinâmica das provas e tribunal anula sentença

Age com ofensa ao contraditório e à  ampla defesa a decisão que, inadequadamente, antecipa o o julgamento da lide,...

Justiça condena INSS a conceder aposentadoria por incapacidade a mulher com problemas de saúde

A Justiça Federal condenou o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a conceder aposentadoria por incapacidade permanente a uma...

TJMG condena empresária por violação de direitos autorais

A 21ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou decisão da Comarca de Belo Horizonte...